domingo, 9 de dezembro de 2012

Cura

 
Estou  com 15 dias de afastamento médico para cuidar da minha mãe.Quando a médica psiquiatra me entregou o atestado,passei três dias chorando sem parar,só cessava quando dela me aproximava.Ela me disse"Sua mãe está em surto,cuide dela ou terei q interná-la",palavras que doíam e ardiam em minha cabeça como facas fumegantes  a queimar-me inteira.Doía,doía e doía.Era uma sensação de fracasso imenso.Que tipo de filha deixa sua mãe chegar a aquela situação,como me abati e permiti q ela se cuidasse sozinha sabendo  q não tinha condições para isso.
 Agora não há desculpa, fui ao trabalho entreguei o atestado com imensa angústia, mais alguns dias afastada da minha turma, entregando-os a sabe quem.Pedi forças aos céu para q não me deixassem desistir do compromisso assumido com certeza antes de nascer.Não reencarnamos juntas á toa,temos um compromisso firmado antes de nascer e devemos cumprir com amor e dedicação.Passei a olhá-la com dor,como deve sofrer por viver com constante incerteza dos q a rodeiam,como deve sofrer por ter q carregar o estigma da doença mental,como sofre por ver q não consegue saber o q se passa consigo,por não aceitar ajuda não saber gritar ajuda.
No meu confortável lugar, a julguei por tantas vezes q nem sei. Busquei informação, li,assisti vídeos,busquei de alguma forma me interar do q estava acontecendo.No meu confortável lugar,passei a observar e a me sentir atacada por suas alucinações e a me defender com minha ignorância e falta de amor.Com os medicamentos a vi criança,talvez na infância q a difícil vida não a permitiu gozar,talvez nas lembranças infantis de antes de minha avó morrer,isso quando ela tinha 9 anos.
Em meu sentimento confundi suas aflições com ataques ao meu orgulho à minha necessidade de aceitação,impus minha personalidade infantil.Não consigo mais escrever nada,só q estou aqui tentando dar mais do que os medicamentos,cuidando de sua alimentação,tentando ser uma filha de verdade.

Um comentário:

  1. Amiga, Leandra
    Não se culpe de nada, pois assim tinha que ser.
    Agora busque apenas ajudar com seu carinho e seu amor.
    Um dia tudo de mal passará e a felicidade será um bálsamo na vida de vocês.
    Procure sempre orar, pedindo a Deus a força necessária para este momento.
    Estou orando por vocês,
    Muita Paz e luz.
    Élys.

    ResponderExcluir